28 de abr de 2017



Por ROBERTO VIEIRA

Era o primeiro de maio de 1943 e a CLT era lançada pelo presidente Vargas. Não havia manchetes do lançamento da CLT no Diario de Pernambuco e só aparecia trecho do discurso de Vargas numa página central no dia seguinte. As manchetes eram dedicadas à Segunda Guerra Mundial e ao sucesso da União Soviética diante das forças de Hitler em Stalingrado. Os trabalhadores com direitos trabalhistas a partir daquela data eram poucos. Mas a CLT iria vigorar durante quase oitenta anos – bem mais que o Reich de Mil Anos do Fuhrer.
Vargas afirmava que não estava à serviço dos interesses alheios e alhures. Vargas que estava com meia corda no pescoço devido ao germanismo de alguns colaboradores. O Brasil entrara na Guerra devido ao afundamento de nossos navios e assassinato de brasileiros pelos submarinos alemães. Os EUA estavam na Guerra após Pearl Harbour. E o Santa Cruz voltava pra casa após uma excursão suicida ao Norte do país que durou cem dias e duas mortes – para maiores detalhes ler o Mestre Lenivaldo Aragão.
Pois o Santa Cruz com seu elenco diabólico com ataque infernal, segundo os jornalistas, iria contrapor a ala direita com Galego e Limoeirinho, a ala esquerda com China e Siduca e o centroavante Guaberinha a estreia sensacional do trio atacante dos Irmãos Viana – Isaac, Tará e Orlando.
Tará, o maior centroavante de nossa história.
Orlando? O futuro Orlando Pingo de Ouro do Fluminense e da seleção.
Porém, eis que finalmente, no dia 3 de maio a CLT ganha manchete – secundária, mas manchete – no Diario. Discurso do Ministro do Trabalho Marcondes Filho estabelecia que estava encerrada a exploração do trabalho em solo nacional sob a invocação de uma desumana liberdade contratual – lembra muito os dias de hoje, correto? As palavras do Ministro permeiam o trabalho infantil e a servidão das mulheres até aquela data.
Uma peça literária e histórica. Digna de ser guardada em nossa memória.
Getúlio Vargas naquele momento deixava as masmorras de tortura do Estado Novo para entrar na memória dos trabalhadores brasileiros. Por tabela, Getúlio salvava o capitalismo nacional do avanço quase inexorável na época da esquerda. Sem os direitos trabalhistas promulgados por Getúlio, o final da Guerra traria distúrbios colocando em xeque a frágil redemocratização brasileira – como aconteceu no Leste europeu.
No dia 4 de maio, a agência meridional apresenta a foto de Getúlio e Marcondes anunciando a CLT no antigo Distrito Federal.
Nos Aflitos, o Santa Cruz marca 2 x 0 no primeiro tempo, mas Orlando é fulminante no segundo e empata o Clássico das Emoções.
Marcondes Filho foi Ministro do Trabalho até o final do primeiro governo Vargas. Logo depois, Marcondes foi eleito senador por São Paulo, sendo presidente do Senado na década de 50. Ocupou o cargo de Ministro da Justiça no breve governo Café Filho.
Vargas se suicidou em 1954.
A CLT resiste desde 1943 como um dos últimos laços do Brasil atual com o Brasil do Estado Novo.

A Greve Geral de 2017 acontece cem anos depois do primeiro grande movimento grevista em nosso país no emblemático 1917. 


0 comentários:

Postar um comentário

Comentários