24 de dez de 2016



Por ROBERTO VIEIRA

A Copa de 1962 foi no Chile.

A viagem brasileira não passava por Recife como em 1958.

Mas Dalvino Santos não desistiu.

Botou a mão na carteira.

Ligou pra Vavá, pra esposa de Vavá e pro pai de Vavá.

'Eu pago tudo!'

Dalvino que tinha grana e era muito amigo da família.

E Vavá tomou o Constelation.

Quando o avião pousou no Aeroporto dos Guararapes?

Surpresa!

Uma multidão esperava o artilheiro.

Nove gols em Copas.

Gols marcados nas finais de 58 e 62.

O Peito de Aço.

Os pernambucanos botaram Vavá nos ombros e saíram em desfile.

Dona Miriam chorava.

Seu Odilon Izidro, pai do craque, se emocionava.

A festa rolou na Praça da Independência.

Frevo, maracatu e baião na festança.

Cachaça liberada pro povão.

O jogador que botou Mazzola e Coutinho na reserva era nosso Rei.

Pernambuco era bicampeão mundial...








0 comentários:

Postar um comentário

Comentários