6 de nov de 2016



Por ROBERTO VIEIRA

Foi um jogo tenso.

O CRB bateu.

O Náutico devolveu.

Milhares de alvirrubros alagoanos nas arquibancadas.

Milhares de alvirrubros pernambucanos também.

Tivemos um gol mal anulado.

Eles marcaram o deles num erro fatal.

Erro do nosso melhor jogador.

Como um castigo dos deuses do futebol.

Castigo para quinze minutos fatais em que recuamos.

Durante a semana visitei o CT da Guabiraba.

Vi muito trabalho.

Vi seriedade.

Vi um ambiente excelente - como faz tempo não havia.

Vi um time que podia e queria vencer, e não venceu.

Muitos de cabeça quente podem malhar esse time, injustiça.

Porém, assim caminha o futebol.

Quem não faz?

Leva apupos, reclamações e pedras.

Faz parte da vida e do jogo.

Quem aceita as glórias nas vitórias deve receber os te esconjuros nas derrotas.

Restam duas coisas entretanto.

As imagens da torcida do Náutico sendo achincalhada na saída do Rei Pelé.

Homens, mulheres, crianças e idosos saindo assustados e xingados.

E resta a sentença do próprio futebol e da vida.

Só está morto e derrotado quem se permite dobrar os joelhos e desistir.

A história da Série B ainda está sendo escrita.

Cabe aos jogadores, dirigentes e torcida decidirem as cores do capítulo final...



0 comentários:

Postar um comentário

Comentários