16 de ago de 2016



Por ROBERTO VIEIRA


Três homens criaram o esporte moderno.

Coubertin.

Rimet.

E Havelange.

Coubertin redescobriu o esporte na infância da humanidade.

Rimet tornou o futebol o maior espetáculo da Terra.

E Havelange transformou o esporte numa máquina de ganhar dinheiro.

Três homens e três revoluções.

Três adultos com alma de criança.

Crianças, sim!

Porque o esporte era visto como brincadeira de criança.

Porém, vejam a ironia dessa vida!

Coubertin se rendeu ao nazismo.

Rimet brincou com o fascismo.

E Havelange mergulhou olimpicamente nos subterrâneos dos valores.

Agora, todos eles são passado.

Restou apenas o meganegócio do jogo e do sonho.

A humanidade se debate entre o fascínio das novas maratonas.

E a perplexidade da corrupção do Poder.

O adeus de Havelange encerra uma Era.

Um tempo em que o lúdico se transformou em coisa séria.

Para cada um de nós resta, entretanto, a esperança.

Esperança de que essa coisa séria possa voltar a ser criança.

Porque a biografia dos adultos é coisa muito triste de se lembrar...


2 comentários:

  1. Havelange foi um visionário. Um profeta. Anterior ao seu tempo. O esporte transformado em um grande negócio. O vale tudo pelo pódio.A corrupção acima de todos os valores.E o poder como instrumento da corrupção. E assim caminha a humanidade! Salve, salve!!!

    ResponderExcluir

Comentários