13 de ago de 2016



POR ROBERTO VIEIRA

O destino no futebol dá trabalho,

a bola que resvala,

o pênalti perdido,

e a biografia do mito se reduz a frangalhos.

O Coliseu anseia por ídolos e paixão,

a Pátria mãe se torna madrasta,

a mão que abençoa é a mesma que condena,

a pena são sete palmos de chão.

O craque vira perna de pau,

o perna de pau semideus,

na velocidade da luz.

O anjo bom vira mau,

os fiéis se vestem de ateus,

os que te amavam te pregam na cruz...




0 comentários:

Postar um comentário

Comentários