18 de jul de 2016



O futebol apaixona, e cega.

Esta última rodada foi assim.

O Santa vence o lanterna?

Volta a ser um timaço e Milton Mendes seu profeta.

Uma semana, Coritiba pela frente, Vasco na copa Brasil.

A mídia faz festa - e tem de fazer mesmo.

A mídia vende o sucesso, ou a tragédia.

Nunca o meio termo.

Na Ilha do Retiro foi pior.

O Sport fez gol?

Osvaldo Oliveira xingou a torcida nas sociais.

Torcida que paga... seu salário.

Mais ou menos como se um médico xingasse seus pacientes por não compreenderem o óbito.

Quem pede respeito?

Tem de respeitar.

O Náutico?

Com meio time na enfermaria?

Com Gallo desafinando?

Virou o pior time do mundo.

Náutico que nem era Barcelona no 5 x 1 sobre o Paraná nem é o Íbis.

Novidade nem mesmo no Central.

Central que desafia sua história e patrimônio.

Mas todo mundo sabia que o Central ia dançar xaxado.

Na batata, a única surpresa é a bela campanha do América-PE.

América que este ano faz bonito nas suas limitações.

O resto é essa ilusão de que saindo do Z-4, a Libertadores é na esquina.

O que é pouco, muito pouco mesmo para o futebol pernambucano.

Passada a festa.

Quando aparecer mais derrotas?

Voltam os arautos do apocalipse na Série A.

Por isso, é melhor raciocinar na frieza dos números.

Números que não mentem.

No site CHANCE DE GOL.

O Santa Cruz tem 23,1% de chance de rebaixamento.

O Sport tem 32,9%.

O Náutico tem 0,5% de chance de queda e 33% de chance para subir.

O Salgueiro segue com 48,7% de chances de classificação.

Qualquer pernambucano que se orgulhe disso é doido... de pedra.

Nada a ver com a Pedra do Mestre Osvaldo, né?





0 comentários:

Postar um comentário

Comentários