19 de jul de 2016



 A Inglaterra tem dessas coisas.

A Noruega também.

1920, Antuérpia.

Primeiros Jogos após a I Grande Guerra.

O futebol caminhava a passos largos para ser o Rei.

Os ingleses tinham três medalhas de ouro nas quatro disputadas.

Eram os pais do futebol.

Esse bla bla bla todo que ainda repetem hoje em dia.

Ingleses que representavam o Reino Unido.

A Noruega?

A Noruega era o time de Gundersen.

Pois bem.

O jogo era a preliminar de Suécia x Grécia.

Estádio Olímpico da Antuérpia.

Cinco mil torcedores nas arquibancadas.

Eram decorridos 13 minutos, quando Gundersen abre o marcador.

O arqueiro Mitchel pegou a bola nas redes.

A Inglaterra achou que era mero acidente.

O ponta direita Nicholson empatou dez minutos depois.

Cabe lembrar que a juventude inglesa morrera na guerra.

Ali estavam os meninos amadores que se julgavam adultos.

Aos 11 minutos da etapa final, Gundersen coloca a Noruega novamente em vantagem.

O trio final inglês com Hardey, Prince e Sloley bombardeia a meta de Wathne.

Wathne que treinava suas defesas no gelo de Oslo.

Bobeira.

Contra ataque.

Wilhelms 3 x 1.

A Inglaterra deixava os sonhos do tetracampeonato olímpico.

A Noruega avançava até ser derrotada por 4 x 0 pela Tchecoslovaquia de Janda.

E os belgas ganhavam seu único título de relevo na história.

Claro... ninguém lembra.

Mas Gundersen tinha o apelido de Jeja.

Atacante do Odd Ballklubb.

Cinco Copas da Noruega no currículo.

Jeja que jogou o jogo da sua vida naquele 28 de agosto de 1920...






0 comentários:

Postar um comentário

Comentários