9 de mar de 2017



Por ROBERTO VIEIRA

Acontecia de vez em quando.
O Palmeiras comemorava a vitória.
O Time da Vila virava pra 7 x 6.
O Benfica vendia ingressos para a negra.
O Time da Vila brilhava no Estádio da Luz.
Milan já comemorando o título.
O Time da Vila virava o jogo em pleno Maracanã em noite de dilúvio.
O Santos com e sem Pelé era um time milagroso.
Milagres sempre habitaram o futebol.
O Time da Vila?
Era pródigo neles.
Repetitivo e enfadonho
O time da Vila era o Time dos Santos.
Ajax, Milan, Bayern, Real.
Todos foram grandes times.
Porém, mesmo com algum milagre de vez em quando.
Eram times previsíveis.
Ganhavam sem direito a Pai Nosso e Ave Maria.
Na noite desta quarta-feira coube a um ex-menino da Vila o milagre.
Com a genialidade e frieza dos eleitos de Deus.
Com a singeleza de Assis.
Neymar virou um jogo impossível diante do PSG.
Uma cobrança de falta digna de Zico.
Um pênalti sem artifícios mágicos - o instante era de terror.
Um drible e um cruzamento na área redentor.
Neymar foi Pelé, Coutinho, Almir e Pepe no mesmo dia.
Neymar foi tudo o que o futebol e os céus esperavam dele.
Após o jogo.
Insatisfeitos por assistir tamanho milagre.
Muita gente meteu o pau no juiz.
Acusou o PSG de ser um bando de maricas.
Lembrou até de Peru x Argentina.
Milagres são assim mesmo.
O cara faz cego ver.
Transforma água em vinho.

Mas o vizinho prefere Di Maria ou Barrabás. 


0 comentários:

Postar um comentário

Comentários