21 de dez de 2016



Por ROBERTO VIEIRA

1966.

Gilberto Duque de Souza ocupava a presidencia do Sport.

Tempos difíceis.

O Náutico ganhava tudo.

O Sport botava as mãos na cabeça.

Gilberto fora escolhido para pacificar o clube.

Mas faltava grana.

Faltava apoio.

A Ilha era uma ilha mesmo.

Cercada de dívidas por todos os lados.

Gilberto mete a boca no trombone.

Se não lhe ajudarem?

Ele vai pegar o beco!

Ultimato por ultimato, este não deu certo.

O Sport viveria mais oito anos de desespero.

O Conselho dos clubes?

Pode ser um mau conselheiro quando o navio vira Titanic.

Por via das dúvidas.

Gulberto pegou o carro e bateu na porta da Fábrica Mocambo.

Pedindo conselhos e ajuda a José Rozenblit.

O mecenas de todas as horas...



0 comentários:

Postar um comentário

Comentários