14 de dez de 2016




O São Paulo do Timão 

Por ROBERTO VIEIRA 


Estrada de Damasco.

Paulo Arns abre os olhos e o sorriso.

É tão mais fácil fechar os olhos.

Calar o sorriso. 

Fingir que a mãe é gentil.

Mas Pedro se foi.

João disse adeus.

Nas masmorras não existe Deus.

São Paulo da garoa é Roma e seus coliseus.

Quo vadis Domine?

Se Pedro não vai, eu vou.

E Paulo deixa de lado Rivelino.

Lance.

Vaguinho. 

No silêncio das catedrais ele crê. 

Contra a lógica das casernas e dos altares.

Contra a ditadura apostólica humana.

Paulo pede pelos pecadores. 

Paulo ora pelos anjos caídos. 

Pra quem lê estas linhas parece pouco.

Pra quem viveu o apocalipse?

Foi um momento no qual o sermão da montanha se tornou pão e vinho...



0 comentários:

Postar um comentário

Comentários