1 de mai de 2016




Por ROBERTO VIEIRA

Moacir Barbosa chegou ao Santa Cruz em 1955.
Amargurado com o Vasco da Gama.
Passe comprado com moedas recolhidas pelas ruas do Recife.
O Santa Cruz sonhando com Barbosa.
Barbosa sonhando com a Copa de 50.
No dia 5 de março de 1956 – Barbosa no gol.
O Santa Cruz batia o Vitória da Bahia por 4 x 0.
E ganhava a Taça Pernambuco – Bahia.
Até hoje?
Este era o maior título coral fora de Pernambuco.
Mas com a chegada de Grafite ao Santa Cruz.
Grafite que levou o Santa Cruz a Série A.
Grafite que surgiu no tricolor e viajou o mundo.
Grafite que nunca havia sido campeão pelo clube do Arruda.
O Santa Cruz levanta a taça de Campeão do Nordeste.
Sessenta anos depois de Barbosa.
Provando que vale sempre apostar no craque.
Agora?
Quem é que segura o Terror do Nordeste?
Terror do Nordeste que vai pra cima do Sport na decisão do estadual.
Em Clássico das Multidões que completa cem anos este ano.

Clássico das Multidões para um país de estádios cada vez mais vazios...


Um comentário:

  1. Viva o Santa Cruz, o time do povo! Para mim é muito tarde, mas se pudesse eu seria Santacruzense.

    ResponderExcluir

Comentários