1 de mai de 2016



ROBERTO VIEIRA

Foi a maior glória do Terror do Nordeste.

5 de março de 1956.

Última rodada do espetacular Torneio Pernambuco-Bahia.

Em um tempo no qual pernambucanos e baianos tinham quatro grandes times em seu curral.

O Sport e o América partiram fortes.

O Bahia beijou o título.

O Vitória de Nadinho esteve quase lá.

O Náutico fez gol em cima de gol.

Mas o Santa Cruz juntou os cacos da demissão do técnico Oto Vieira - festejado pela torcida e crônica.

E encontrou no Waldomiro Silva seu herói.

Waldomiro que amava o clube sobre todas as coisas.

Na rodada final, o rubro negro baiano chegou ao Recife e recebeu 4 x 0.

Bahia e Náutico empatavam em 2 x 2.

A Taça tomava o caminho do Arruda ainda sonhado.

Semelhanças entre 1956 e 2016?

Vitória e Campinense são rubro negros.

Hoje temos Grafite.

Em 1956?

Lá estava o espetacular Moacir Barbosa no arco.

Barbosa que não levou a Copa de 50.

Mas segurou firme o Torneio Pernambuco-Bahia...




0 comentários:

Postar um comentário

Comentários