21 de jul de 2016



 Por ROBERTO VIEIRA

Cheia de desencantos mil.
Chega a nova Olimpíada da Era Moderna.
Milhões criticam.
Milhões de zikas.
Mas sejamos justos.
A Olimpíada de Ipanema tem colegas formidáveis no balança mas não cai.
O fracasso da Olimpíada de Paris em 1900.
Jogos que começaram em maio e terminaram em... outubro.
O triunfo da vontade e do nazismo na Berlim de 1936.
O massacre de estudantes na véspera da Cidade do México em 1968.
O massacre de judeus em Munique, 1972.
O boicote africano em Montreal, 1976.
O boicote americano em Moscou, 1980.
O boicote russo em Los Angeles, 1984.
O atentado em Atlanta, 1996.
O colapso financeiro espartano em 2004.
O absurdo da olimpíada celestial na ditatorial Pequim de 2008.
O Rio de Janeiro fica na Terra.
E o planeta Terra está em profunda crise.
A Turquia arde expressos da meia noite.
Multidões buscam refúgio no Velho Mundo.
Caminhões assassinam inocentes em Nice.
Ingleses abandonam os parceiros comerciais.
Machados surgem na Alemanha.
Fome mutila a Venezuela.
Doping e Tolstoi na Rússia de Putin.
Mísseis coreanos no Mar do Japão.
Trump ergue muros nas fronteiras do bom senso.
Cheia de desencantos mil e garotas de Ipanema.
Chega a nova Olimpíada da Era Moderna.
Milhões criticam.
Milhões de zikas.
Mas sejamos justos.
O Rio de Janeiro continua lindo.
E muito mais democrático que nos dias daquele abraço...
Quem sabe o Rio não mostre ao mundo mais uma vez.
Que a beleza nada mais é que uma gota de orvalho cheia de graça numa pétala de flor...


0 comentários:

Postar um comentário

Comentários