13 de abr de 2016



ROBERTO VIEIRA

Qual o grande amor da sua vida?

Muita gente responderá que são seus filhos ou netos. Outros lembrarão da mãe e do pai. Os apaixonados certamente escreverão que é sua esposa, esposo, namorados. Muito poucos ousarão nos informar que o grande amor de suas vidas reside em si mesmos. Pouquíssimos suportam serem considerados EGOÍSTAS.

Julgamos belo e romântico amarmos quem está junto de nós. Imaginamos profundo e metafísico adorarmos quem vive do lado de fora de nossos corações, transportando tais pessoas para o íntimo de nossa alma. Como se amar fosse negar a nós mesmos. Como se o amor maior fosse amar quem não somos.

Porém, é impossível amar integralmente sem que nos amemos integralmente primeiro. Como é impossível subir a montanha mais alta ou descer às profundezas mais escuras dos oceanos sem antes conquistarmos a nós mesmos.

Pessoas que amam integralmente também se amam integralmente. Amam suas qualidades e batalham contra seus defeitos - não de forma destrutiva, mas na certeza de que viemos ao mundo para aprender e nos aperfeiçoarmos.

Sem amar esse cara que vive dentro de sua cabeça, de seu corpo, de seu coração, sem respeito por esse amigo que você traz dentro de você, nada feito.

Todo amor que você deseja entregar é repleto da busca de uma aceitação do próximo impossível - o próximo também está em luta contra seus próprios moinhos de vento.

Como amar a si mesmo? Como transformar você no grande amor da sua vida?

Não sei. Cada um deve encontrar seu caminho. Porque cada um de nós é um belo planeta repleto de beleza interior e riquezas infinitas. Cada um com sua órbita, cada um com suas gravidades, cada um com sua atmosfera.

Cabe a cada um de nós cuidarmos bem de nosso planeta para que os convidados nele se sintam como se estivessem em casa.

Pois é.

O segredo da vida é amarmos profundamente este grande presente que o Senhor nos deu: Nós mesmos.

Pois apenas quando somos o grande e eterno amor de nossas vidas, podemos entregar esse amor a alguém...


Um comentário:

  1. Antonio (apenas o meu 1º e menos importante nome...)13 de abril de 2016 15:21

    hehehe...


    meus caros e queridos amigos,


    meu nome é Antonio...

    apenas o 1º nome...

    entretanto, o meu nome é composto...

    Antonio NARCISO...

    Narciso... lembra narcisista...

    (um momento só... fui arrumar o espelho aqui na minha frente)

    pois bem... amigo e querido poeta...

    os meus pais, os meus filhos, a minha mulher... que me perdoem...


    hehehe...

    1 abraço a todos.




    ResponderExcluir

Comentários