19 de dez de 2015



Agosto de 1928.

O Barcelona foi muito bem recebido.

A Argentina era vice-campeã mundial

- medalha de prata nas Olimpíadas de 1928 no futebol.

A viagem de navio foi inesquecível.

Férias no futebol europeu.

Adeus calor catalão.

Chegada na friorenta Buenos Aires antes do castigo chamado Peron.

De cara?

Derrota diante da seleção argentina por 3 x 1.

Vamos esclarecer!

O Barcelona viajou confiante.

Derrotara a seleção argentina olímpica pouco antes em casa - 4 x 0.

Mas a realidade na capital do tango foi vexatória.

Veio o Independiente em Avellaneda.

Outra derrota.

Desta vez por 4 x 1.

River Plate?

Mais uma lapada.

Agora por 1 x 0.

Curiosamente, a única vitória foi contra o mais pop dos clubes portenhos.

Um 2 x 1 sobre o Boca.

O time parou de tomar vinho.

Foi dormir mais cedo.

E atravessando o Rio da Prata, o Barcelona empatou com o Peñarol: 1 x 1.

Tudo salvo?

Que nada!

O Nacional não se fez de rogado e sapecou um 3 x 0 no time de Plattko.

Eram tempos do melhor futebol do mundo na América do Sul.

As derrotas do Barcelona viraram cordel.

Um cordel espanhol.

Um cordelito narrando as desventuras do futuro melhor do mundo na terra de Gardel...












0 comentários:

Postar um comentário

Comentários