2 de mar de 2015




O Torre foi o grande time pernambucano no final dos anos 30.

Por três vezes campeão estadual.

Tudo por obra e graça de Estácio Coimbra.

Governador que navegou nas águas da velha República.

Vestindo saia na Revolução de 30.

Último suspiro do Torre.

Substituído pelo Santa Cruz pop nas graças dos troféus.

Santa bem mais palatável ao sabor tenentista.

Final dos 30.

E a sede do Torre na Ponte d'Uchoa era aberta para uma grande festa.

Festa da elite recifense.

Naquele 10 de junho de 1939.

Ocorreu o Baile da Ilha Fiscal do Madeira Rubra...


0 comentários:

Postar um comentário

Comentários