2 de mar de 2015




5 de maio de 1950.

Ninguém toca no assunto.

Pacaembu lotado.

Falta um mês para a Copa.

Dois meses para o 16 de julho.

O Brasil alinha Barbosa, Zizinho, Ademir, Jair e Chico.

E ainda conta com Tesourinha na ponta.

Nilton Santos e Mauro estão em campo.

Jovens e futuramente preteridos por Flávio Costa.

No papel, e em campo, era uma equipe mais forte que a seleção que foi vice-campeã mundial.

Pois o Uruguai de Gigghia e Schiaffino passa por cima do Brasil.

Um 4x3 que já mostrava a carne de pescoço que eram os celestes...




Um comentário:

  1. Muito embora a seleção brasileira tenha derrotado a do Uruguai nas duas outras partidas disputadas logo antes da Copa de 50, o fato mencionado por Roberto - ao qual nunca vi se dá a devida importância - é bastante significativo. Pelo menos, se devidamente lembrado antes da partida final, deixaria sem fundamento aquele exagerado favoritismo (que nos foi fatal).

    ResponderExcluir

Comentários